fbpx
og:image

Carnaval da memória

Não é hora de deixar o samba morrer. Se não podemos ir para as avenidas, aglomerar e dançar juntos, como muitos gostamos, é hora de ativar a memória em busca das boas lembranças de outros carnavais. Compartilhamos com vocês as lembranças de duas foliãs, participantes da Eternamente Sou: Tetê Tauile, moradora do Rio de Janeiro, e Dora Cudgnola, paulistana da leste, contam sobre suas vivências de carnaval.