O FUTURO DO TRABALHADOR LGBT

Qual é o nosso papel em promover um mercado de trabalho mais igualitário?

Hoje vivenciamos o dia do trabalhador mais impactante da história, onde estamos visualizando um Brasil imerso em uma crise, infectado pelo preconceito e no retrocesso da Democracia. O artigo à seguir propõe uma reflexão do futuro do trabalhador LGBT e como nós como comunidade devemos lutar para mudar esse cenário.

Você sabe o que é Pinkwashing (lavagem rosa) ? É um termo com diversos significados, sendo cada dia mais presente no mercado de trabalho. Configura à apropriação de movimentos de liberdade sexual e de gênero com objetivo de promover uma organização, mascarando preconceitos e a falta de políticas realmente inclusivas no cotidiano da empresa. Aqui aplica-se a famosa máxima “Não tenho preconceito contra LGBT’S tenho até um que trabalha na empresa “ 

PinkWashing

“Lembre-se que o seu consumo é um ato político…”

Na prática isso significa que conforme pesquisas*, se você quer se tornar um gestor irá enfrentar 38% de empresas brasileiras que negam o seu acesso a esse cargo, sendo que 7% te abominam predominantemente. Dentro dessa realidade 43% LGBTS afirmaram que já sofreram preconceito no trabalho.  E dados de 2017 da ANTRA (Associação Nacional de Travestis e Transexuais) afirmam que, 90% da população de Travestis e Transexuais infelizmente ainda utilizam a prostituição como fonte de renda, e possibilidade de subsistência, devido à dificuldade de inserção no mercado formal de trabalho e a deficiência na qualificação profissional causada pela exclusão social, familiar e escolar.

Sendo assim, é importante evitarmos entrar nesse Lava jato Rosa sem uma reflexão sobre essas empresas, porque tem sido frequente à prática da promoção comercial de marcas que não tem um compromisso tangível em estimular o progresso da comunidade. 

Lembre-se que o seu consumo é um ato político, se você consome de uma marca que não é ou não está trabalhando diariamente pela promoção real da diversidade você é conivente com isso também.

O nosso trabalho impacta diretamente em nossa aposentadoria e conforme discutido anteriormente, a nossa segurança no mercado de trabalho influenciará o nosso alcance para uma vida estável em nossa velhice .

Os LGBTS enfrentam uma discriminação aberta ou sutil que pode impedir a obtenção de uma promoção ou ter oportunidades na carreira, podendo resultar  em rendimentos menores durante a vida e, consequentemente, menos poupança para aposentadoria.  Não se assumir no ambiente de trabalho pode até vir influenciar na conquista de benefícios para parceiros e familiares que lhes sejam oferecidos no trabalho.

7 Coisas Fundamentais Para Preparar Sua Aposentadoria

1. Conhecer os seus direitos é algo fundamental, aprenda sobre a legislação que pode te proteger ou impactar de forma negativa. Aprenda sobre as leis e o que está acontecendo no Congresso.

 

2. Garanta que os seus rendimentos estejam seguros. Pensar no seu planejamento imobiliário e a designação de beneficiários são especialmente importantes para cônjuges LGBT, pois ainda somos tratados de forma diferenciada que um casal heterossexual.

 

3. Pesquise o acesso a pensões/aposentadoria, saúde e outras ofertas de benefícios do empregador quando levar em conta uma proposta de emprego.

MÃO LGBT

4.Tenha o hábito de poupar durante os seus anos de trabalho. Crie uma poupança ou invista para ter uma aposentadoria segura.

5. Pense e pesquise sobre um seguro contra invalidez, que pode te proteger durante um período que tenha que ficar afastado do trabalho devido alguma doença.

6. Pense preventivamente no seu futuro em relação ao cuidado de sua saúde e moradia, pois pessoas LGBTS podem estar em maior risco financeiro que os heterossexuais conforme envelhecem, pois são mais propensos a viverem sozinhos.

 

7. Mantenha-se engajado na sua comunidade, é importante criar conexões com outras pessoas LGBTS e evitar o isolamento.  Aprenda sobre o que há disponível na comunidade para ajudar pessoas idosas LGBT’S, como iniciativas de acesso à saúde, cuidados, entrega de alimentos, etc. 

De tal maneira, espero que você tenha criado a consciência acerca da nossa luta por melhores condições no mercado de trabalho e como o seu consumo responsável pode vir à influenciar esse cenário. Tenha em mente que consumir constitui um ato político para nossa comunidade, pesquise afundo sobre empresas que se dizem “Amigos dos LGBTs”  e não entre nesse Lava Jato Rosa. Oriente-se pois essas ações irão impactar diretamente em uma aposentadoria segura e igualitária a todos nós!

Dados utilizados nesse artigo: Associação Nacional de Travestis e Transexuais, Associação Brasileira de Recursos Humanos,Center for Talent Innovation, Consultoria Santo Caos, Catho, Instituto de longevidade Aegon, Inova Social.

Categorias: 2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *